Notícias

30/01/2020

Raiva: Alerta para focos no Noroeste do Paraná

A Adapar alerta para a confirmação de 2 (dois) focos de raiva em bovinos na região Noroeste do estado do Paraná, neste mês de janeiro. Os municípios acometidos são Porto Rico e Tapira, onde ocorreram os focos em bovinos que morreram após apresentar sinais neurológicos. Chama a atenção o fato da região não ter abrigos de morcegos cadastrados.

A distância entre os focos é de 55 km e os dois locais são próximos a rios. A Adapar está desenvolvendo atividades de vigilância nas 764 propriedades rurais envolvidas na zona de proteção e vigilância, com cerca de 82 mil bovinos. Em 2019 houveram focos em Planaltina do Paraná, Querência do Norte e Santa Mônica (municípios da região).

O supervisor da Unidade Regional de Sanidade Agropecuária de Paranavaí, o médico veterinário Carlos Vieira da Costa Júnior, relatou que todo o rebanho que está num raio de 12 quilômetros deve ser vacinado. A vacina é adquirida em lojas veterinárias e 30 dias após a imunização deve ser dada uma dose de reforço.

ALERTA: É recomendando notificar a Adapar em caso de animais com sinais neurológicos e fazer vacinação dos animais anualmente. É importante ainda notificar a Adapar sobre presença de supostos abrigos de morcegos na região, para que sejam cadastrados e monitorados periodicamente.

PERIGO: A raiva é uma doença fatal para animais e para o homem e é transmitida pelo morcego hematófago (vampiro). A sociedade deve estar sensível à necessidade de comunicar rapidamente a Adapar, os casos de animais com sinais nervosos, para que se possa tomar as medidas de vigilância e controle do vetor.

A Secretaria Estadual de Saúde – SESA, foi comunicada imediatamente após a confirmação dos focos, para monitorar as pessoas que tiveram contato com os animais.

Imagem: Geolocalização dos focos de raiva em herbívoros no Noroeste do Paraná, janeiro 2020.


Fonte: Adapar/ATG

Fonte: Adapar

Recomendar esta notícia via e-mail:
Topo