Notícias

08/02/2019

Adapar e Nova Prata do Iguaçu Juntos no Controle da Brucelose e da Tuberculose.

A Adapar realizou no dia 31 de janeiro, no município de Nova Prata do Iguaçu localizado no sudoeste do Paraná, uma palestra sobre o Programa Estadual de Controle e Erradicação da Brucelose e Tuberculose. A palestra foi ministrada pela médica veterinária fiscal da Adapar, Cristina Román Amigo, lotada na Unidade Local de Salto do Lontra e fez parte do lançamento do Programa de Saúde Animal do município.

Neste ano, o programa municipal traz como novidade a colaboração da prefeitura junto aos produtores rurais, no custeio dos exames de brucelose e tuberculose. O secretário municipal da agricultura, Everton da Silva Oliboni, relatou que a iniciativa fortalece outros programas que já vem sendo executados no município, a exemplo do Programa de Melhoramento Genético através da inseminação artificial e o Programa Leite Sudoeste. O evento aconteceu na Câmara dos Vereadores de Nova Prata do Iguaçú e reuniu aproximadamente 50 produtores além de autoridades municipais.

Cristina Amigo parabenizou a iniciativa do município e repassou informações com o objetivo de conscientizar produtores e autoridades, da grande importância da brucelose e da tuberculose na saúde animal e na saúde pública. A fiscal da Adapar também destacou que a vacinação contra a brucelose, assim como a realização de exames anuais de brucelose e tuberculose em todo o rebanho leiteiro, são exigências previstas na IN 10/2017 e nas Portarias 132/2017 e 133/2017. Durante a palestra foram abordados tópicos relativos à prevenção e controle dessas doenças, assim como as condutas a serem adotadas em caso de animais suspeitos ou confirmados.

O PNCEBT (Programa Nacional de Controle e Erradicação da Brucelose e da Tuberculose Animal) foi instituído em 2001 pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento com o objetivo de diminuir o número de casos da doença (prevalência), assim como de novos casos (incidência). Para tal, é obrigatória a vacinação de bezerras com idade entre 3 e 8 meses contra Brucelose, o sacrifício de animais positivos para qualquer uma das duas doenças e a apresentação de atestado negativo para essas enfermidades ao transportar animais destinados à reprodução para fora do estado ou para ingressar em feiras e exposições.

A brucelose e a tuberculose são doenças infecto-contagiosas de origem bacteriana, que podem ser transmitidas ao homem. Além de causarem perdas econômicas, são um grave problema de saúde pública, que deve ser combatido com o apoio dos produtores e dos órgãos fiscalizadores.

Fonte: Adapar

Recomendar esta notícia via e-mail:
Topo