Educação e Comunicação Social em Defesa Agropecuária

O diferencial competitivo da agropecuária paranaense, deve-se, em grande parte, à consolidação do sistema sanitário do Estado. Construído ao longo de décadas, este trabalho contou, em grande parte, com a efetiva participação dos Conselhos de Sanidade Agropecuária  - CSAs.

Originados no final da década de 1990 como uma ação interinstitucional de apoio ao Programa Nacional de Controle e Erradicação da Febre Aftosa – PNEFA, os CSAs passaram a propor e contribuir na execução e no planejamento estratégico da defesa agropecuária nos municípios e regiões.

Agora, mais do que nunca, é necessário o fortalecimento e a mobilização dos entes da cadeia produtiva e dos cidadãos paranaenses para concretização de um objetivo há tempo almejado: O reconhecimento internacional do Paraná como área livre de febre aftosa sem vacinação.

 


Projetos e Metas Prioritárias

Projeto: Educando para Promover a Sanidade Agropecuária: Realização do plano de capacitação de educação em sanidade agropecuária para o período 2020 – 2023 com vistas à continuidade da formação e instrução dos profissionais que atuarão como facilitadores regionais das iniciativas dos Programas de Educação em Sanidade Agropecuária (PROESA) e de Fortalecimento dos Conselhos de Sanidade Agropecuária (PFCSA).

Projeto: Conferência Estadual de Defesa Agropecuária - I CEDA O êxito do Programa de Fortalecimento dos CSAs depende em grande medida da qualidade e eficácia da sua comunicação. Ao promovermos o interesse público pelos objetivos do Programa, já estamos a mobilizar energias criadoras entre os destinatários do programa, a gerar confiança e a estabelecer uma boa imagem da sanidade agropecuária.

Projeto: Semanas Acadêmicas: Implantado em 2016, o projeto consiste na realização de workshops e oficinas para a divulgação das Atividades da Adapar em Defesa Sanitária Animal, nos cursos de Graduação de Medicina Veterinária no Paraná. Até o final de 2019, foram contabilizados cerca de 1.500 alunos de graduação participantes das palestras, oficinas e workshops promovidos pelas universidades e faculdades de medicina veterinária no Paraná.

Projeto: Vigilância e Prevenção da Raiva: O tema “Ações de Vigilância e Prevenção da Raiva” passa a ser objeto de um Seminário Anual, abordando aspectos e questões relativas à doença, seus agentes, suas competências e atribuições. A excelência nas ações de defesa agropecuária é a principal estratégia da Adapar, portanto se faz necessário o incremento nas ações de educação em saúde para que possamos elevar os índices de vacinação para uma redução dos casos de raiva.

 


A Comunidade Promovendo a Sanidade

Os Conselhos de Sanidade Agropecuária são instituições prioritárias para a promoção da educação sanitária e ambiental. Com o objetivo de contribuir para o fortalecimento destes conselhos, a Secretaria de Estado da Agricultura e do Abastecimento - SEAB, a Agência de Defesa Agropecuária do Paraná - ADAPAR e o Instituto Paranaense de Assistência Técnica e Extensão Rural EMATER, uniram esforços na instituição dos CSA.

Definida a estratégia de gestão com atuação por macrorregional, com os grupos de trabalho constituídos e com apoio das entidades parceiras, foram organizados projetos estratégicos com o objetivo de fortalecer o funcionamento dos CSA de forma dinâmica e perene.

Consolidação de um CSA referência por Unidade Local de Sanidade Agropecuária (ULSA)

Critérios:

  • Atualização dos registros no sistema
  • Diretoria e Conselheiros
  • Planos de Ação
  • Diagnóstico Econômico Sanitário
  • Realização de reuniões ordinárias por ano

Clique abaixo para conhecer a lista dos CSA referência

 

 

   
 

Rede de facilitadores regionais

Realização dos dois primeiros módulos do projeto "Educando para Promover a Sanidade Agropecuária"

 

Os facilitadores regionais são profissionais da estrutura da ADAPAR que tem por atribuição atuar como multiplicadores da metodologia de educação sanitária junto aos demais Fiscais de Defesa Agropecuária, reduzindo os ruídos na comunicação e harmonizando as informações referentes às iniciativas dos programas prioritários da ADAPAR. Suas atividades são definidas pela O.S. nº 04/2015-DDA.

 



 
Clique abaixo para acessar a lista de distribuição dos facilitadores regionais do programa
 

Mobilização das prefeituras municipais por meio da ampliação das atribuições dos servidores públicos municipais autorizados* para atuarem com secretários executivos dos CSA. 

Apoio para que os diretores de mobilização cumpram sua função.


* Servidor autorizado por meio de Portaria a lançar informações no banco de dados dos sistemas da Adapar
 
 

Estruturação e realização do plano de mobilização dos profissionais da iniciativa privada, com ênfase nos Sindicatos Rurais, profissionais liberais e agroindústrias

 

 

 
 
Governo e sociedade devem definir uma diretriz em torno da qual aplicarão seus esforços para promover qualidade de vida e desenvolvimento em todo o Estado, num contínuo esforço de convergência e sinergia do Governo, das empresas e do terceiro setor, tendo por base a definição de políticas voltadas ao desenvolvimento econômico sustentável visando a integração das cadeias produtivas, com agregação de valor e competitividade internacional, principalmente no campo de nosso potencial superior que é o agronegócio.
Entre os objetivos centrais para o setor da agricultura e do agronegócio figuram a elaboração, em conjunto com fórum de representação dos agricultores, dos trabalhadores rurais e das instituições de orientação técnica, do planejamento estratégico da agricultura paranaense para os próximos 10 anos e a sanidade plena como elemento de agregação de valor ao produto paranaense, propiciando qualidade e competitividade.
 
 
 

A constituição dos Conselhos de Sanidade Agropecuária obedece, justamente, à preocupação de integrar os objetivos das instituições parceiras num calendário articulado de longo prazo, com os objetivos globais do Plano de Governo a nível estadual.

Logo CSA
 

São objetivos dos Conselhos de Sanidade Agropecuária

  • Propor e executar o planejamento da defesa agropecuária local
  • Apoiar a defesa agropecuária na erradicação e controle de pragas e doenças
  • Apoiar as autoridades competentes na execução das ações de defesa, inspeção e vigilância sanitária
  • Estudar e propor normas de defesa sanitária, respeitando a legislação vigente
  • Acompanhar a execução das políticas públicas de sanidade agropecuária e segurança alimentar

 

Quem deve participar do Conselho e qual a sua composição?

Representantes titulares e suplentes de entidades públicas e privadas, que estejam direta ou indiretamente relacionados a atividade agropecuária tais como:

  • Entidades públicas: Secretaria da EAB, MAPA, ADAPAR e EMATER, Secretaria Municipal de Agricultura e de Meio Ambiente, Vigilância Sanitária, IAPAR, Instituições públicas de ensino em Ciências Agrárias.
  • Entidades privadas: Sindicato Rural, Sindicatos dos Trabalhadores Rurais, Associações de Produtores, Sociedades Rurais, Cooperativas, Associações Comerciais, Entidades de Classe Profissional (CRMV, CREA), Instituições Particulares de Ensino em Ciências Agrárias, Agroindústrias, Empresas de comercialização de Produtos Veterinários, Empresas de Transporte de Animais, Fábricas de medicamentos veterinários, vacinas, rações e insumos agrícolas.

Eleita pelos conselheiros, a diretoria do CSA apresenta a seguinte composição:

Composição CSA

 

Presidente - representante da iniciativa privada
Diretor Executivo - representante da iniciativa privada
Diretor Técnico de Sanidade Animal - representante local da ADAPAR ou EMATER
Diretor Técnico de Sanidade Vegetal - representante local da ADAPAR ou EMATER
Diretor(es) de Mobilização - Secretário Municipal de Agricultura


 
Recomendar esta página via e-mail:
Topo